Tendência

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Grupo separatista quer o Espirito Santo um País independente do Brasil

Grupo quer separar ES: ‘Somos obrigados a tragar cultura carioca ou baiana como nossa’

Pesquisa: Edmilson Ciriaco/A Tribuna Bahia.com.br Veja a economia que o estado gera para a federação e a sua importância no PIB Brasileiro.
Um movimento separatista quer que o Espírito Santo seja independente do Brasil e se torne um país. O ato foi oficializado há dois anos e planeja consulta popular para 10 de março de 2018.





De acordo com o site Gazeta Online, os organizadores do ‘O Espírito Santo é Meu País’ querem dedicar 2017 para conquistar adeptos. Guga Lima, fundador do movimento, diz que o grupo já possui 200 participantes ativos e defende o movimento com base na realidade europeia.

 Segundo o ativista, no continente nenhum país é maior do que a Amazônia e qualquer país de lá é mais organizado do que o Brasil. “O povo do Espírito Santo tem clamado por mudanças e não dá mais para esperar. Queremos separação. Tem gente que fala que a separação é impossível. Mas, alguns meses atrás, alguém acreditava que Donald Trump seria eleito nos EUA?”, explicou, acrescentando que não está defendendo o presidente americano. Lima critica também a cultura de estados vizinhos como motivos para o movimento separatista. “Hoje somos obrigados a tragar a cultura carioca ou baiana como se fosse a nossa. Nós temos a nossa própria cultura. As danças, as manifestações culturais deles não nos representam. E a ONU defende o princípio da autodeterminação dos povos, o que legitima nosso movimento”, acrescentou, negando que os capixabas sejam xenófobos.

Se conquistarem a independência, a população de cada estado teria autonomia para escolher uma nova forma de governo, embora a preferência seja pela monarquia. Para tanto, o grupo capixaba precisa enfrentar o artigo 1º da Constituição Federal, segundo o qual a “República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal”. Por causa disso, o Espírito Santo se juntou a outros quatro estados – São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Roraima – no Aliança Nacional, movimento que deve se tornar partido político empenhado na modificação da legislação brasileira.

O Espoirito Santo possui extensão territorial de 46.098,571 quilômetros quadrados, divididos em 78 municípios. Conforme contagem populacional, realizada em 2010, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estado totaliza 3.514.952 habitantes.
Localizado na Região Sudeste, principal responsável pela economia nacional (respondendo por 56,4% do PIB do país), o Espírito Santo contribuiu, em 2008, com 2,3% para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. No âmbito estadual, essa participação foi de 4%. Tal média é a menor entre os estados do Sudeste.
A composição do PIB do Espírito Santo é a seguinte:
- Agropecuária: 9,3%
- Indústria: 34,5%
- Serviços: 56,3%
O setor de serviços é a principal atividade econômica do estado. Vitória, capital capixaba, abriga os portos de Tubarão e Vitória, sendo esse último um dos mais movimentados do Brasil, fato que impulsiona esse segmento da economia no estado.
A agricultura baseia-se nos cultivos de arroz, feijão, café, legumes, cana-de-açúcar e diversas frutas (nas áreas litorâneas há plantações de banana, abacaxi, mamão, maracujá e limão, enquanto que nas montanhas são cultivados, morango e uva). O Espírito Santo é o segundo maior produtor de café em grãos do Sudeste, atrás somente de Minas Gerais.
O setor industrial, responsável por 34,5% do PIB estadual, destaca-se pelos segmentos, alimentício, madeireiro, fabricação de celulose, siderúrgico e têxtil.
O Espírito Santo é grande exportador de ferro, aço e granito, é também o segundo produtor de petróleo e gás natural do país, sua produção é inferior apenas à do Rio de Janeiro. Com a descoberta de grandes reservas petrolíferas em 2002, o estado passou da sexta para a segunda posição entre os detentores das maiores reservas do país. Com o início da exploração do petróleo da camada pré-sal, o estado aumentará de forma significativa sua produção.
Dados das exportações e importações:
Exportações:
Minério de ferro: 46%
Produtos siderúrgicos: 25%
Celulose: 10%
Granito: 6%
Café em grãos: 6%
Outros: 7%.
Importações: 
Carvão mineral: 14%
Máquinas e equipamentos: 12%
Cátodos e outros produtos de cobre: 9%
Fios, tecidos e confecções: 7%
Produtos das indústrias químicas: 6%
Equipamentos para movimentação de cargas: 6%
Carros, pneus e peças: 5%
Outros: 34%.
Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A TRIBUNA BAHIA

Noticias 24 horas do Sul da Bahia- Agência Porto Press Comunicação-Você repórter 73-99994-2798- whatsapp

Follow by Email

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Traduzido Por: Mais Template - Designed: Blogger Templates - Curioso Curiosidades