http://www.saude.ba.gov.br/policlinicasregionais


Atribuna24hs/ Carleto pode deixar base do PT para ser candidato ao Senado com ACM Neto

Resultado de imagem para RONALDO CARLETO COM  ACM NETO
Conversas de bastidores ainda confirmam indicação do filho de Otto Alencar para a Vice
Se não for indicado para uma vaga ao Senado da República, Ronaldo Carleto pode deixar base do PT e migrar para base de ACM Neto do DEM, levando Deputados e Prefeitos para a nova chapa.

Segue acirrada a Disputa para as vagas ao Senado da Republica na chapa do Governador Rui Costa, a Senadora Lídice da Mata, Ângelo Coronel, o ex Governador Wagner e o Deputado Carleto se articulam para garantir as vagas. Segundo colunistas Baianos, Wagner tem cadeira garantida como candidato, enquantos os outros disputam suas forças, Já Carletto aqui de Itamaraju, foi lido assim pelo site BN:
'' Ronaldo por enquanto segue no PP, prefere os bastidores. Desde o final do ano passado opera em silêncio para adquirir cacife político para bancar um espaço para si na chapa de Rui Costa – ou até mesmo de ACM Neto (DEM). Como o PP já estaria representado na disputa com João Leão na vice, Carletto namora com o PR, com a promessa de levar um séquito de deputados e prefeitos para a legenda, caso confirme a migração. Como se não bastasse a articulação junto aos republicanos, o deputado federal ainda mantém articulação em torno de outra sigla, o Pros, que ampliaria a musculatura política na reta final da disputa. De bobos, nenhum deles tem sequer um dedo. Com perfis tão distintos, a disputa é um convite para assistir com pipoca como será a costura política de Rui nos próximos meses. Recentemente o Deputado Ronaldo Carleto indicou para presidência do PROS na Bahia, seu Ex. Assessor Parlamentar Vivaldo Goés, aliás o homem que inventou a família Carleto na politica.

BN-
A disputa por uma vaga para concorrer ao Senado pela Bahia em 2018 tem trazido perfis interessantes para os eleitores. Principalmente daqueles mais próximos ao governador e candidato à reeleição, Rui Costa. Basta olhar para os principais nomes já públicos que tentam um espaço para disputarem a eleição: Jaques Wagner (PT), Lídice da Mata (PSB), Angelo Coronel (PSD) e Ronaldo Carletto (PP). O ex-governador Wagner é considerado o único com vaga garantida, apesar de sugerir que abriria mão da disputa em prol da unidade do grupo. O petista possui perfil conciliador e, com trato refinado, dificilmente encontraria oposição dentro do próprio grupo. Lídice é a mais esquerdista nessa disputa. Ícone da resistência ao carlismo na década de 1990, surfou na onda vermelha em 2010 e garantiu a atual cadeira no Senado. Agora, corre o risco de ficar fora da chapa por problemas de musculatura política do PSB na Bahia. Os dois últimos, Coronel e Carletto, possuem perfis mais próximos entre si, porém diferentes de Wagner e Lídice. Apesar de politicamente de centro, os dois entram na disputa com estratégias completamente distintas. O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) é mais próximo do gênero bonachão, que procura aparecer com críticas discretas ao governador e trânsito livre com a oposição. Coronel tenta ainda mostrar estar mais próximo da população – vide a participação dele na Lavagem do Bonfim na última semana, com direito a bloco de apoio. Tal estilo se tornou um dos trunfos de Coronel, que também possui a musculatura do PSD para catapultá-lo ao posto, com uma provável vaga reservada.

Nenhum comentário