Após a denúncia de que os garis concursados recebiam a metade do salário dos servidores concursados, a equipe do Siga a Notícia identificou verdadeiros absurdos na folha de pagamento da gestão tucana, a exemplo do procurador jurídico do município,
 Elton Moitinho que chega a receber R$ 18 mil por mês e ainda conta com outras regalias, a exemplo de diárias para fazer curso de pós graduação em Salvador.
Na nossa primeira pesquisa, identificamos que a professora Suênia Costa Bastos Oss, casada com o Secretário de Administração, Leo Oss, teve o seu salário quase que triplicado desde que o seu esposo assumiu a pasta em janeiro de 2017. Suenia que recebia R$ 1.673,00 de salário base, passou a receber 100% de gratificação e teve o salário base aumentado para R$ 2 mil, chegando a receber mais de R$ 5 mil reais por mês.
Para se ter idéia do reflexo dos gastos causado pelas vantagens financeiras concedidas por Léo Oss à sua esposa, só de décimo terceiro e férias Suênia recebeu quase R$ 16 mil reais entre os meses de janeiro e fevereiro de 2018. Suênia também conta com outras regalias, a exemplo de veículos locados da prefeitura que ela utiliza até para fazer compras em supermercado. Esse caso chegou a ser denunciado no MPE, e Leo Oss e sua esposa passaram a ser alvos de um inquérito civil instaurado pelo promotor Tarcisio Robslei.
As bondades de Leo Oss se estende também para outros familiares. Sua irmã de criação, Jucenilza Favalessa, que recebia o salário de R$ 1600,00 no início da gestão de Marcelo Angênica, agora recebe R$ 5 mil por mês ocupando função de presidente da comissão de licitação. Apesar de negar o elo familiar entre Leo Oss e Jucenilza, é de conhecimento público que o secretário foi criado pelo pai de Jucenilza, que inclusive mantem veículos locados na frota municipal.
Leo Oss ficou conhecido no início da gestão de Marcelo Angênica, quando na ocasião criou uma empresa em nome de laranjas e firmou contrato com a prefeitura de Itamaraju. Após as denúncias, o prefeito cancelou o contrato e suspendeu os pagamentos à empresa de Léo. Ainda em 2017 ele foi denunciado por alugar sua própria caçamba para a secretaria de obras.