Vereadores itaubelenses entregam documento A Ministro da Educação e defendem 60% do Fundef para professores.


Os vereadores do Município e Itabela, sul da Bahia, defendem que os 60% dos valores dos Precatórios do Fundef, sejam destinados a Educação e mais especificamente a remuneração aos professores. Neste sábado dia 14 de julho de 2018, os vereadores Itabelenses tiveram um encontro com o Ministro de Educação, Rossieli Soares da Silva.
O encontro aconteceu durante a assinatura da portaria de credenciamento da instituição Pitágoras de Eunápolis e região, para o curso de Medicina. Os vereadores entregaram ao Ministro, um documento solicitando sua interferência junto ao TCU-Tribunal de Contas da União, sobre a destinação definitiva deste recurso e que contemplem os professores.
O encontro com os vereadores durou um pouco mais de 15 minutos, tempo suficiente para que os parlamentares esclarecessem sobre decisões diversas e entendimentos que vem atrapalhando a destinação destes recursos. Eles pediram a compreensão do Ministro na hora de opinar na decisão junto ao TCU sobre a destinação dos precatórios do extinto Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) e que busque instrumentos legais para garantir a aplicabilidade desses recursos na educação e que contemple os professores.Os vereadores do Município e Itabela, sul da Bahia, defendem que os 60% dos valores dos Precatórios do Fundef, sejam destinados a Educação e mais especificamente a remuneração aos professores. Neste sábado dia 14 de julho de 2018, os vereadores Itabelenses tiveram um encontro com o Ministro de Educação, Rossieli Soares da Silva.
O encontro aconteceu durante a assinatura da portaria de credenciamento da instituição Pitágoras de Eunápolis e região, para o curso de Medicina. Os vereadores entregaram ao Ministro, um documento solicitando sua interferência junto ao TCU-Tribunal de Contas da União, sobre a destinação definitiva deste recurso e que contemplem os professores.
O encontro com os vereadores durou um pouco mais de 15 minutos, tempo suficiente para que os parlamentares esclarecessem sobre decisões diversas e entendimentos que vem atrapalhando a destinação destes recursos. Eles pediram a compreensão do Ministro na hora de opinar na decisão junto ao TCU sobre a destinação dos precatórios do extinto Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) e que busque instrumentos legais para garantir a aplicabilidade desses recursos na educação e que contemple os professores.

Nenhum comentário