Atentado em Suzano choca o Brasil, com machados e armas 10 pessoas foram mortas e dezenas feridas

Atentado a tiros deixa 10 mortos em escola de Suzano, em São Paulo


Um atentado causado por dois atiradores deixou dez mortos nesta quarta-feira pela manhã na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, no interior de São Paulo. Cinco alunos, duas funcionárias, o proprietário de uma locadora de veículos foram mortos por dois ex-alunos da Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25. 
Os dois adolescentes que invadiram a escola para cometer o crime teriam se matado ao se deparar com militares. O coronel Salles, da Polícia Militar, disse que, antes de entrar na escola, os dois atiradores dispararam contra o proprietário da locadora de veículos. Ele chegou a passar por cirurgia na Santa Casa de Suzano, mas faleceu.
Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25.( CRIMINOSOS)


As oito vítimas confirmadas são:

·         Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica

·         Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionária da escola

·         Pablo Henrique Rodrigues, aluno

·         Cleiton Antonio Ribeiro, aluno

·         Caio Oliveira, aluno

·         Samuel Melquíades Silva de Oliveira, aluno

·         Douglas Murilo Celestino, aluno

·         Jorge Antonio de Moraes, comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola

·          Guilherme Tauci Monteiro (17 anos, ex-aluno da escola)

·          Luiz Henrique de Castro (25 anos, ex-aluno da escola)

 O coronel Salles informou ainda que os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Um deles usava máscara de caveira e luvas. Primeiro, eles atiraram em uma coordenadora pedagógica e em uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram alunos de ensino médio. Depois seguiram para um centro de línguas. 

 Imagens gravadas dentro da escola logo depois do atentado mostram os estudantes correndo, se deparando com os corpos no chão e gritando em desespero. Eles pularam o muro da escola e procuraram abrigo no comércio da região.  


A professora Sandra Perez falou sobre o ataque. "Foi às 9h30. Ouvimos disparos. Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas. Quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os policiais chegaram, 20 minutos depois", contou. 

Na mochila dos atiradores havia três coquetéis molotov, duas bestas (lança-seta) e um revólver 38. Uma terceira mochila foi encontrada com uma espécie de bomba, de acordo com informações do Major Caruso, subcomandante do 32º Batalhão com sede em Suzano.
A polícia fez varredura na escola porque foram encontrados artefatos com aparência similar a de explosivos. 

Em nota, a Prefeitura de Suzano informou que o Pronto Socorro Municipal já recebeu pessoas com ferimentos leves. Os feridos com maior gravidade estão sendo encaminhados ao Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, e ao Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba. Ao todo, são nove pessoas nessa situação.
 
O governador João Doria (PSDB), assim que foi informado do ocorrido, cancelou a agenda oficial e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos. "Ao chegar (...) fiquei consternado, chocado. Nunca tinha visto uma cena igual na minha vida”, disse João Doria. Segundo ele, as estruturas dos hospitais foram mobilizadas para receber as vítimas e o governo também vai encaminhar estrutura psicológica para os estudantes e familiares das vítimas.

Nenhum comentário