O Primeiro apartamento a direita: Filha do assassino de Marielle namorou filho de Bolsonaro, diz Delegado

Delegado Giniton Lages, da Delegacia de Homicídios do Rio (Foto: Tomaz Silva/ABr)
Em entrevista a imprensa Bolsonaro disse que tirou fotos com milhares de militares e pessoas comuns, e negou conhecer o acusado. Agora chega a confirmação dos laços de família.
REPRODUÇÃO/ATRIBUNA BAHIA/PORTOPRESS
Delegado responsável pela investigação sobre a execução da vereadora carioca Marielle Franco (PSol), Giniton Lages afirmou que uma filha do ex-policial militar Ronnie Lessa, preso nesta terça-feira (12) como suspeito do crime, namorou um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (PSL).
o crime.Isso tem [namoro], mas isso, para nós, hoje, não importou na motivação delitiva. Isso vai ser enfrentado num momento oportuno. Não é importante para esse momento”, observou Lages, durante entrevista coletiva sobre a investigação que levou à prisão de Ronnie Lessa e do suposto comparsa, o também ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, 46. O delegado não deu detalhes sobre o relacionamento.
Segundo a polícia, Queiroz, que aparece em uma foto antiga com Bolsonaro, teria dirigido o carro que levava Ronnie Lessa até o local onde o crime foi cometido. 
Segundo a TV Globo, Ronnie estaria no banco de trás do Cobalt e teria feito os disparos.
Outra informação confirmada pelo delegado é que Ronnie Lessa mora no mesmo condomínio do presidente da República e de seu filho Carlos Bolsonaro, na Barra da Tijuca, no Rio, mesmo local onde o suspeito foi preso pela manhã. 

Os outros filhos políticos de Jair Bolsonaro são o senador Flávio e o deputado federal Eduardo Bolsonaro. Além deles, Bolsonaro é pai de Jair Renan e Laura, ambos que sua atual esposa, a primeira-dama Michelle Bolsonaro.
Dúvidas
Na coletiva, com a presença do governador Wilson Witzel, o delegado Giniton Lages afirmou ainda que as dúvidas que restam em relação ao assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes serão respondidas na segunda fase da investigação, sobretudo quem foi o mandante do crime.
Para Lages, Ronnie Lessa tem perfil de alguém que praticou crime de ódio – Marielle e Anderson foram mortos com 13 tiros. 
Pesquisas na internet 
O suspeito, segundo a investigação, fez diversas pesquisas sobre personalidades políticas ligadas à esquerda, como o deputado federal Marcelo Freixo (Psol), então deputado estadual e adversário político de Bolsonaro e família.
Lages comentou, no entanto, que a relação entre a família do presidente e o acusado "não foi confirmada, nem foi objeto da investigação".
Foto com acusado
Desde a divulgação das prisões da dupla de ex-policiais, passou a circular na internet uma foto de Bolsonaro ao lado de Queiroz, um dos suspeitos.
Questionado sobre o assunto, Bolsonaro respondeu que tem fotos com "milhares de policiais civis e militares, com milhares, do Brasil todo". Ele também afirmou que "é possível que haja um mandante" do crime.

Nenhum comentário